cancro da próstata

envie a um amigo share this

Tratamento dirigido ao sistema immunológico e alterações epigenéticas em tumores urológicos

Os tumores urológicos, incluindo o cancro da próstata, da bexiga, do rim e do testículo, representam vários desafios na actualidade (nomeadamente, o tratamento de formas metastizadas da doença e de fenótipos que adquirem resistência aos tratamentos sistémicos). São necessárias novas armas terapêuticas para estes doentes. Recentes avanços na área da imunoterapia levaram à aprovação de diversos agentes moduladores do sistema imunológico pelo seu papel anti-neoplásico. Contudo, é necessário identificar biomarcadores que discriminem os doentes que mais beneficiem destas terapêuticas.

Desenvolvimento de compostos sintéticos com potencial atividade citotóxica contra os cancros da próstata e da mama

A quimioterapia é uma das terapias efetivas utilizadas no tratamento de vários cancros, no entanto devido aos seus efeitos secundários e ao desenvolvimento de resistências, a comunidade científica encontra-se sempre à procura de novas drogas que possam ultrapassar estes problemas. Tendo em conta a alta incidência do cancro da mama e da próstata nas mulheres e nos homens, respetivamente, e o papel que as drogas têm no tratamento destes cancros, este trabalho teve como objetivo a síntese de benzofenonas com potencial aplicação no tratamento do cancro.

Unfolded Protein Response no cancro da mama e próstata

Cientistas do Instituto de Biomedicina (iBiMED) da Universidade de Aveiro (UA) publicaram um artigo de revisão na revista Carcinogenesis. O artigo “Contribution of the unfolded protein response to breast and prostate tissue homeostasis and its significance to cancer endocrine response”, fornece uma revisão crítica e atual sobre as vias de proteostase e a sua importância para a homeostase da glândula mamária e da próstata.

Polimorfismos do HOTAIR têm implicações no prognóstico de cancro da próstata

O objectivo deste trabalho foi avaliar o impacto dos polimorfismos de nucleótido simples (SNP – do inglês single nucleotide polymorphisms) rs920778 e rs12826786 do RNA longo não-codificante HOTAIR na susceptibilidade e prognóstico de pacientes com cancro da próstata (CaP). Neste estudo de caso-controlo, os nossos resultados mostram que não há uma associação entre as variantes polimórficas rs920778 e rs12826786 no gene HOTAIR e a susceptibilidade para o desenvolvimento de CaP.

As vias de sinalização do sistema SCF/c-KIT no cancro do testículo e da próstata

O sistema stem cell factor (SCF)/c-KIT está envolvido na ativação de diversas vias de transdução de sinal, resultando no controlo da proliferação celular, apoptose, diferenciação e migração em diferentes tecidos. A ativação excessiva do c-KIT desencadeada por mecanismos diversos tem sido implicada no desenvolvimento e progressão do cancro, principalmente no caso de leucemias e tumores gastrointestinais.

Efeitos metabólicos do dietilstilbestrol e seu conjugado polimérico em células tumorais da próstata

O fator de transcrição indutível por hipoxia HIF-1α, cujos níveis se encontram substancialmente aumentados em vários tipos de tumores, constitui um importante alvo molecular com vista ao desenvolvimento de novos fármacos anti-cancro. O estrogénio sintético não esteróide dietilstilbestrol (DES) reduz o crescimento tumoral dependente de HIF, sendo que a sua administração em baixas doses, pré-quimioterapia, apresenta resultados clínicos promissores no tratamento do carcinoma da próstata resistente à castração.

Prognóstico do cancro da próstata definido pela análise combinada do 8q, PTEN e ERG

O cancro de próstata (CaP) é o segundo tipo de cancro mais diagnosticado em homens e a quinta causa de morte por cancro em todo o mundo. A introdução da análise do PSA constituiu uma importante ferramenta clínica para detecção precoce de CaP e monitorização da doença, mas este teste tem uma sensibilidade e especificidade baixas e o seu valor de prognóstico é limitado. Isto mostra que existe uma necessidade crescente de novos marcadores de diagnóstico e prognóstico mais fidedignos para a gestão clínica desta doença.

Hipermetilação do promotor do gene TERT prediz recorrência bioquímica em cancro da próstata: Estudo retrospetivo

O cancro da próstata (CP) é o cancro mais frequente na população masculina, com elevada prevalência a partir dos 60 anos de idade. Apesar da alta prevalência, as taxas de mortalidade são variáveis e refletem o carácter heterogéneo (clínico e biológico) desta doença. Recentes estudos demonstraram que grande parte dos doentes com doença de baixo risco, não necessitam de tratamento. No entanto, neste grupo aparentemente homogéneo, há doentes que apresentam doença agressiva – e beneficiam de terapêutica.

Brachyury é um novo potencial modulador da expressão do receptor de androgénios e uma molécula chave na resistência à terapia em cancro da prostata

O cancro da próstata é a neoplasia mais frequentemente diagnosticada e a segunda causa de morte relacionada com cancro em indivíduos do sexo masculino. De realçar que o desenvolvimento de resistência à terapia convencional é um dos maiores problemas no tratamento eficaz de indivíduos que sofrem desta neoplasia. Dentro dos vários mecanismos de resistência à terapia em cancro da próstata destaca-se a expressão do receptor de androgénios, a aquisição de mecanismos de transição epitélio-mesenquima, características estaminais e transdiferenciação neuroendócrina.

NCOA2 é um candidato a gene alvo do ganho do 8q associado a cancro da próstata clinicamente agressivo

O cancro da próstata (CaP) constitui um grande problema de saúde para os homens, sendo o segundo tipo de cancro mais comum e a quinta causa de morte por cancro em todo o mundo. Apesar do uso do PSA como ferramenta clínica para a detecção precoce do CaP, este teste tem muitas falhas e o seu valor de prognóstico é limitado.