MUC16

envie a um amigo share this

Mucins and Truncated O-Glycans Unveil Phenotypic Discrepancies between Serous Ovarian Cancer Cell Lines and Primary Tumours

 
Ricardo Coelho1,2,3, Lara Marcos-Silva1,2,4,5, Nuno Mendes1,2, Daniela Pereira1,2, Catarina Brito4,5, Francis Jacob6, Catharina Steentoft7, Ulla Mandel7, Henrik Clausen7, Leonor David1,2,3 and Sara Ricardo1,2,3

1 Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), Universidade do Porto, Porto 4099-002, Portugal; 

2 Institute of Molecular Pathology and Immunology of the University of Porto (IPATIMUP), Porto 4099-002, Portugal;

Mucinas e O-glicanos truncados revelam discrepâncias fenotípicas entre linhas celulares de cancro seroso do ovário e Tumores Primários

A obtenção de resultados robustos em investigação baseia-se na seleção de modelos celulares capazes de reproduzir as características dos tumores de origem. Em estudos anteriores, verificamos que a expressão de mucinas (MUC16 e MUC1) e O-glicanos truncados (Tn, STn e T) representam um fenótipo característico dos carcinomas serosos do ovário. Assim, a utilização de linhas celulares de cancro do ovário que reflitam este fenótipo é crucial para explorar o potencial papel biológico destes biomarcadores no contexto dos carcinomas serosos do ovário.

A Novel Monoclonal Antibody to a Defined Peptide Epitope in MUC16

Novo anticorpo monoclonal para epitope bem definido de MUC16

Glyco-mucin profiles as biomarkers for detection of ovarian tumours

Authors and Affiliations:

Sara Ricardoa, 1, Lara Marcos-Silvaa, b, c, 1, Daniela Pereiraa, Rita Pintoa, Raquel Almeidaa, b, d, Ola Söderberge, Ulla Mandelc, Henrik Clausenc, Ana Felixf, g, Nuno Luneth, i, Leonor Davida, b

A deteção de glicoformas de mucinas como biomarcadores em tumores do ovário

Este trabalho, publicado na revista Molecular Oncology, resulta de uma colaboração envolvendo várias instituições de investigação portuguesas (IPATIMUP, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, ISPUP, IPO Lisboa, e CHSJ Porto) e duas instituições internacionais, a Universidade de Copenhaga, na Dinamarca, e a Universidade de Uppsala, na Suécia. O nosso trabalho contribuiu para o desenvolvimento da área dos biomarcadores de cancro do ovário.