ASPIC

envie a um amigo share this

Webinar course on Epithelial-Mesenchymal Plasticity

The course runs on Oct 5-7, Oct 13,14 and 16 for 3 hours each day (10am-1pm IST)

 

See more informations here: https://forms.gle/MB9E5oNYVef1g1a47

Webinar course on Epithelial-Mesenchymal Plasticity

The course runs on Oct 5-7, Oct 13,14 and 16 for 3 hours each day (10am-1pm IST)

 

See more informations here: https://forms.gle/MB9E5oNYVef1g1a47

A novel culture method to study breast cancer biology, in particular ERα signaling

The main therapeutic strategy used in 75% of all breast cancers targets estrogen receptor α (ERα). However, the mechanisms underlying ERα therapeutic resistance are still elusive hampered by the challenges in developing suitable experimental models. In this work, a novel ex-vivo culture strategy was developed. This strategy is based on tissue microstructures encapsulation in alginate, enabling maintenance of original tissue structure, cell populations and extracellular matrix, thus recapitulating the tumoral microenvironment in which ERα signaling is sustained.

Novo método de cultura para o estudo do cancro da mama

A principal estratégia terapêutica utilizada em 75% dos cancros da mama tem como alvo o recetor de estrogénio alfa (ERα). Em alguns casos, contudo, esta terapêutica mostra-se ineficaz sendo que os mecanismos associados a esta resistência são ainda pouco conhecidos.  Neste trabalho, os investigadores desenvolveram uma nova estratégia de cultura de tecido tumoral que permite a manutenção da estrutura original dos tecidos, incluindo populações celulares e matriz extracelular.

Regulation of invasion and peritoneal dissemination of ovarian cancer by mesothelin manipulation

O cancro do ovário é a quinta causa de morte por cancro nas mulheres na Europa. O termo cancro do ovário engloba um grupo heterogéneo de tumores malignos, sendo o cancro do ovário do tipo epitelial (EOC) o mais frequente. Devido à ausência de sintomas nos estádios iniciais, a maioria dos EOC são diagnosticados em estádios avançados, que frequentemente envolvem disseminação metastática na cavidade peritoneal, condição também referida como carcinomatose peritoneal, que constitui a principal causa do desfecho desfavorável e do mau prognóstico das pacientes com EOC.

Regulação da invasão e disseminação peritoneal do cancro do ovário através da manipulação da mesotelina

O cancro do ovário é a quinta causa de morte por cancro nas mulheres na Europa. O termo cancro do ovário engloba um grupo heterogéneo de tumores malignos, sendo o cancro do ovário do tipo epitelial (EOC) o mais frequente. Devido à ausência de sintomas nos estádios iniciais, a maioria dos EOC são diagnosticados em estádios avançados, que frequentemente envolvem disseminação metastática na cavidade peritoneal, condição também referida como carcinomatose peritoneal, que constitui a principal causa do desfecho desfavorável e do mau prognóstico das pacientes com EOC.

New biomarkers of prognosis of renal cell carcinoma

Novos biomarcadores de prognóstico de carcinoma de células renais

A Investigadora do IPO Porto e aluna de Doutoramento da Universidade do Porto (ICBAS), Francisca Dias, a realizar o seu projecto no Grupo de Oncologia Molecular e Patologia Viral do Centro de Investigação do IPO-Porto viu o seu trabalho ser publicado e selecionado para a capa da revista Cancers do mês de junho.

Serum PD-1/PD-L1 Levels, Tumor Expression and PD-L1 Somatic Mutations in HER2-Positive and Triple Negative Normal-Like Feline Mammary Carcinoma Subtypes

Authors and Affiliations:

Catarina Nascimento1, Ana Catarina Urbano1, Andreia Gameiro1, João Ferreira2, Jorge Correiaand Fernando Ferreira1

Importância do eixo PD-1/PD-L1 em gatas com carcinomas mamários agressivos

Investigadores da Faculdade de Medicina Veterinária (FMV/CIISA/ULisboa) e da Faculdade de Medicina (FM/iMM/ULisboa) publicaram recentemente na prestigiada revista internacional “Cancers” (FI=6.126), os resultados de um dos seus mais recentes trabalhos sobre o papel do eixo PD-1/PD-L1 em gatas com carcinoma mamário. Para tal, quantificaram os níveis séricos do ligando PD-L1 e do seu recetor (PD-1) em animais saudáveis e doentes, analisaram a sua expressão nas células cancerosas e nos linfócitos infiltrantes tumorais, e identificaram a presença de mutações somáticas no gene do PD-L1.