ASPIC

envie a um amigo share this

Morphophenotypic Classification of Hepatocellular Carcinoma

Authors and Affiliations:;">

Rui Caetano Oliveira,MD1,2,3 & Ricardo Martins,MD2,3,4,5,6 & Ana Margarida Abrantes,MSc, PhD2,3 & Ângela Jesus, MSc1 & Paulo Teixeira, MSc1 & Carolina Canhoto, MD4 & Pedro Guerreiro, MD4 & Beatriz Costa, MD, PhD3,4,5 & Mário Rui Silva, MD1 & José Guilherme Tralhão, MD, PhD4,5,6 & Maria Augusta Cipriano, MD1

Morphophenotypic Classification of Hepatocellular Carcinoma

Os critérios atualmente existentes para a avaliação do carcinoma hepatocelular (CHC) estão ainda longe do desejável por forma a instituir uma medicina individualizada. Nos últimos anos algumas classificações morfofenotípicas têm surgido na literatura.

MEX3A Regulates Lgr5 + Stem Cell Maintenance in the Developing Intestinal Epithelium

MEX3A regula a manutenção das células estaminais Lgr5 + no epitélio intestinal em desenvolvimento

O estudo centra-se na ação de uma proteína nas células estaminais do intestino, foi desenvolvido por investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S) e chegou agora à capa da conceituada revista científica EMBO Reports. Os investigadores descobriram que a proteína designada MEX3A é importante para a identidade das células estaminais intestinais, as responsáveis pela contínua renovação do tecido num intestino saudável. A equipa está agora a tentar perceber quais as implicações desta proteína no cancro do cólon e na sua progressão.

Hybrid epithelial-mesenchymal phenotypes are controlled by microenvironmental factors

Célula virtual prevê como o ambiente tumoral influencia a metástase do cancro

Investigadores do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde, Universidade do Porto (i3S) e do Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC) identificaram os sinais que são emitidos no ambiente tumoral que controla a capacidade migratória das células cancerígenas. A nova descoberta, agora publicada na revista científica Cancer Research, permite compreender a complexidade das moléculas envolvidas no cancro e abre a possibilidade de manipular esses sinais para reduzir a agressividade do carcinoma.

 

Os Direitos dos Doentes - Comemoração Anual

Lisboa - ON LINE - AESEP- Hospital St.Louis - Parlamento Europeu

 

18 - 20 April, 2020

https://aesep.pt/event/1o-forum-anual-europeu-de-saude-preventiva-e-epigenetica/
 

Os Direitos dos Doentes - Comemoração Anual

Lisboa - ON LINE - AESEP- Hospital St.Louis - Parlamento Europeu

 

18 - 20 April, 2020

https://aesep.pt/event/1o-forum-anual-europeu-de-saude-preventiva-e-epigenetica/
 

A panel of intestinal differentiation markers (CDX2, GPA33 and LI-cadherin) identifies gastric cancer patients with favourable prognosis

Gastric cancer is the fifth most common cancer and the third cause of global cancer mortality. CDX2 is an intestinal differentiation marker with prognostic value in gastric cancer and transcriptionally regulates the expression of glycoprotein A33 (GPA33) and liver intestine cadherin (LI-cadherin).

Um painel de marcadores de diferenciação intestinal (CDX2, GPA33 e LI-caderina) identifica pacientes de cancro gástrico com prognóstico favorável

O cancro gástrico é o quinto tipo de cancro mais comum e a terceira causa de morte por cancro no mundo. O CDX2 é um marcador de diferenciação intestinal com valor prognóstico em cancro gástrico e regula a expressão da glicoproteína A33 (GPA33) e da caderina hepato-intestinal (LI-caderina, de acordo com o nome em inglês “liver intestine”) ao nível da transcrição.