Ricardo Coelho

envie a um amigo share this

Regulation of invasion and peritoneal dissemination of ovarian cancer by mesothelin manipulation

O cancro do ovário é a quinta causa de morte por cancro nas mulheres na Europa. O termo cancro do ovário engloba um grupo heterogéneo de tumores malignos, sendo o cancro do ovário do tipo epitelial (EOC) o mais frequente. Devido à ausência de sintomas nos estádios iniciais, a maioria dos EOC são diagnosticados em estádios avançados, que frequentemente envolvem disseminação metastática na cavidade peritoneal, condição também referida como carcinomatose peritoneal, que constitui a principal causa do desfecho desfavorável e do mau prognóstico das pacientes com EOC.

Regulação da invasão e disseminação peritoneal do cancro do ovário através da manipulação da mesotelina

O cancro do ovário é a quinta causa de morte por cancro nas mulheres na Europa. O termo cancro do ovário engloba um grupo heterogéneo de tumores malignos, sendo o cancro do ovário do tipo epitelial (EOC) o mais frequente. Devido à ausência de sintomas nos estádios iniciais, a maioria dos EOC são diagnosticados em estádios avançados, que frequentemente envolvem disseminação metastática na cavidade peritoneal, condição também referida como carcinomatose peritoneal, que constitui a principal causa do desfecho desfavorável e do mau prognóstico das pacientes com EOC.

Mucins and Truncated O-Glycans Unveil Phenotypic Discrepancies between Serous Ovarian Cancer Cell Lines and Primary Tumours

 
Ricardo Coelho1,2,3, Lara Marcos-Silva1,2,4,5, Nuno Mendes1,2, Daniela Pereira1,2, Catarina Brito4,5, Francis Jacob6, Catharina Steentoft7, Ulla Mandel7, Henrik Clausen7, Leonor David1,2,3 and Sara Ricardo1,2,3

1 Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), Universidade do Porto, Porto 4099-002, Portugal; 

2 Institute of Molecular Pathology and Immunology of the University of Porto (IPATIMUP), Porto 4099-002, Portugal;

Mucinas e O-glicanos truncados revelam discrepâncias fenotípicas entre linhas celulares de cancro seroso do ovário e Tumores Primários

A obtenção de resultados robustos em investigação baseia-se na seleção de modelos celulares capazes de reproduzir as características dos tumores de origem. Em estudos anteriores, verificamos que a expressão de mucinas (MUC16 e MUC1) e O-glicanos truncados (Tn, STn e T) representam um fenótipo característico dos carcinomas serosos do ovário. Assim, a utilização de linhas celulares de cancro do ovário que reflitam este fenótipo é crucial para explorar o potencial papel biológico destes biomarcadores no contexto dos carcinomas serosos do ovário.

Peritoneal dissemination of ovarian cancer: role of MUC16-mesothelin interaction


Ricardo Coelho 1,2, Lara Marcos-Silva 1, 3, Sara. Ricardo 1,2, Filipa Ponte 1, Antónia Costa 2,4,5, José Manuel Lopes 2,6,7, Leonor David 1,2

(1) Differentiation and Cancer Group, IPATIMUP/i3S, Institute of Molecular Pathology and Immunology of the University of Porto/Institute for Research and Innovation in Health of University of Porto, Porto, Portugal.

(2) FMUP, Faculty of Medicine of University of Porto, Porto, Portugal.

Papel da interação MUC16-mesotelina na disseminação peritoneal do carcinoma do ovário

Uma equipa de investigadores do Ipatimup/i3S publicou um artigo de revisão em colaboração com investigadores do centro Hospitalar de São João, na revista Expert Review of Anticancer Therapy, onde revêm o papel da expressão e interação entre a mucina 16 (MUC16) e a mesotelina na disseminação peritoneal do carcinoma de ovário. Este artigo fornece uma extensa revisão sobre os ensaios clínicos que têm como alvo terapêutico a expressão destas duas moléculas.