Péptidos

envie a um amigo share this

Model Amphipathic Peptide Coupled with Tacrine to Improve Its Antiproliferative Activity

Authors and Affiliations:

Sara Silva 1 2 3, Cláudia Alves 4, Diana Duarte 1 2, Ana Costa 5 6, Bruno Sarmento 5 6 7 8, António J Almeida 3, Paula Gomes 4, Nuno Vale 1 9

1 OncoPharma Research Group, Center for Health Technology and Services Research (CINTESIS), Rua Dr. Plácido da Costa, 4200-450 Porto, Portugal.

Péptidos aceleram o reaproveitamento de fármacos para oncologia

O reaproveitamento de fármacos em oncologia é um dos processos que mais atenção tem tido nos últimos anos em biomedicina. São várias a estratégias para o fazer, mas uma das desenvolvidas nos últimos anos por Nuno Vale (FMUP & CINTESIS), envolve a utilização de péptidos penetradores celulares para a entrega de fármacos. Num dos trabalhos mais recentes, Model Amphipathic Peptide Coupled with Tacrine to Improve Its Antiproliferative Activity (Int. J. Mol. Sci.

Descobertos novos péptidos para terapia dirigida de cancro de mama

Quais são as principais limitações contemporâneas na deteção precoce de cancro de mama?

Qual o subtipo celular com prognóstico mais reservado?

Qual a importância de novos alvos celulares na terapia dirigida?

 

Seleção de novos péptidos e investigação de alvos alternativos para cancro de mama triplo negativo

O cancro de mama é o tipo de cancro mais frequente entre mulheres, tendo-se registado 1,67 milhões de novos casos em 2012. O subtipo de cancro de mama triplo negativo (CMTN) é responsável por 10-20% de todos os cancros de mama diagnosticados, não existindo nenhuma terapia dirigida específica. O CMTN é caracterizado por tumores de grandes dimensões e com elevados graus, com uma alta taxa de metástases e curto período de recorrência. As opções de tratamento atuais para CMTN incluem cirurgia, radioterapia e a clássica quimioterapia.